Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

"Tales for The Ones in Love"

An international blog about literature, nature and hope. Here I include lyrics by Rui M. and the work of others. From 4th to 24th each month, new contributions sent to [AFTER AUGUST] are accepted. Periodical Art contests and Critics. Thanks. Arigatou

"Tales for The Ones in Love"

An international blog about literature, nature and hope. Here I include lyrics by Rui M. and the work of others. From 4th to 24th each month, new contributions sent to [AFTER AUGUST] are accepted. Periodical Art contests and Critics. Thanks. Arigatou

10
Set20

This day

talesforlove

Today we share with you a music and a word of hope: please continue your lifes with hope in a better future.

 

You Raise Me Up

 

When I am down and, oh my soul, so weary;

When troubles come and my heart burdened be;

Then, I am still and wait here in the silence,

Until you come and sit awhile with me.

 

You raise me up, so I can stand on mountains;

You raise me up, to walk on stormy seas;

I am strong, when I am on your shoulders;

You raise me up... To more than I can be.

 

You raise me up, so I can stand on mountains;

You raise me up, to walk on stormy seas;

I am strong, when I am on your shoulders;

You raise me up... To more than I can be.

 

[There is no life - no life without its hunger;

Each restless heart beats so imperfectly;

But when you come and I am filled with wonder,

Sometimes, I think I glimpse eternity.]

 

You raise me up, so I can stand on mountains;

You raise me up, to walk on stormy seas;

I am strong, when I am on your shoulders;

You raise me up... To more than I can be.

 

You raise me up, so I can stand on mountains;

You raise me up, to walk on stormy seas;

I am strong, when I am on your shoulders;

You raise me up... To more than I can be.

 

 

Free translation into Portuguese, by Rui M.

 

Tu me elevas

 

Quando estou deprimido e cansado, até às profundezas da minh'alma,

Quando os problemas ensombram o meu coração,

Então eu espero aqui em silêncio

Até que tu vens e te sentas, por instantes, junto a mim.

 

Tu me elevas, para que eu possa suportar as montanhas;

Tu me elevas, para eu andar sobre mares tempestuosos;

Eu sou forte, quando estou sobre os teus ombros;

Tu me elevas... A algo maior do que eu algumas vez poderia ser.

 

Tu me elevas, para que eu possa suportar as montanhas;

Tu me elevas, para eu andar sobre mares tempestuosos;

Eu sou forte, quando estou sobre os teus ombros;

Tu me elevas... A algo maior do que eu algumas vez poderia ser.

 

[Não existe vida alguma - nenhuma vida sem fome;

Cada coração irrequieto bate na sua imperfeição bate;

Mas quando tu vens e eu me sinto maravilhado,

Por vezes, acredito vislumbrar a eternidade.]

 

Tu me elevas, para que eu possa suportar as montanhas;

Tu me elevas, para eu andar sobre mares tempestuosos;

Eu sou forte, quando estou sobre os teus ombros;

Tu me elevas... A algo maior do que eu algumas vez poderia ser.

 

Tu me elevas, para que eu possa suportar as montanhas;

Tu me elevas, para eu andar sobre mares tempestuosos;

Eu sou forte, quando estou sobre os teus ombros;

Tu me elevas... A algo maior do que eu algumas vez poderia ser.

 

Enjoy.

02
Jul18

2nd July 2018 - Poetry and translation

talesforlove

This month we present the translation of two poems by Brazilian poets.

 

First the poem by Ricardo de Souza, mentioning a positive world made of love and peace, regardless the duties, doubts and uncertainties...

 

Yes, always yes, by Ricardo de Souza


I live in the world of duties, doubts, uncertainties, taxes,
I live in the world of wars, of individualism, with lack of ideas,
I live in the world of beautiful landscapes, kind people, balance, love and peace,
I live in the world where complaining does not solve,
I come to this world with the poor purpose of leaving the little knowledge I know,
I come to this world with the duty of change, innovation, vision of the future for the quality of life of many,
I come to leave my name written in the memory of those I can reach.

 

The same poem in Portuguese:

 

Sim, Sempre Sim

 

Vivo no mundo de deveres, dúvidas, incertezas, impostos,

Vivo no mundo de guerras, de individualismo, afogado na pobreza de espírito,

Vivo no mundo de paisagens bonitas, pessoas bondosas, equilíbrio, amor e paz,

Vivo no mundo aonde reclamar não resolve,

Venho a este mundo com o pobre objetivo de deixar o pouco conhecimento que sei,

Venho a este mundo com o dever de mudança, inovação, visão de futuro em prol da qualidade de vida de muitos,

Venho deixar o meu nome escrito na memória dos que eu puder alcançar.

 

 A poem by the Brazilian poet Maria Coquemala.

MY SOUL


Light, my soul gets free and grows.
My soul that has never been so joyful,
who abandons this departing body.
       My soul transcends, advances in space ...
       Driven by the wings of desire, go to the infinite ...
       My soul goes through the rainbow.
       and is painted with the colors of joy.
All the painful memories are erased.
Silence for ever the voices of longing,
of sorrow, of pain, of suffering.
      They reveal themselves to my soul,
      the secrets of the Universe ...
      There are no unanswered questions.
      There is no longer body, agony and death.
And my whole soul, without cuts,
fulfill all my fantasies.
Reason and feeling merge in harmony.
     My walking soul advances in infinity
     unraveling paths in eternity.


Note: in the book "Pulsar" (2015), All Print Editora, São Paulo, Brazil

 

Original in Portuguese:

 

MINHA ALMA


Leve, minha alma se liberta e cresce.
Minha alma que nunca esteve tão alegre,
que abandona este corpo que se esvai.
      Minha alma transcende, avança no espaço...
      Levada pelas asas do desejo, ruma ao infinito...
      Minha alma atravessa o arco-íris
      e se pinta com as cores da alegria.
Apagam-se todas as lembranças doloridas.
Silenciam para sempre as vozes da saudade,
da tristeza, da dor, do sofrimento.
     Vão-se revelando à minha alma,
     os segredos todos do Universo...
     Já não há perguntas sem respostas.
     Já não há corpo, agonia e morte.
E a minha alma inteira, sem recortes,
realiza todas as minhas fantasias.
Razão e sentimento se fundem em harmonia.
    Minha alma andarilha avança no infinito
    desvendando veredas na eternidade.


Nota: no Livro "Pulsar" (2015), All Print Editora, São Paulo, Brasil

 

Enjoy your readings and writings.

Bests.

13
Mar18

"Nella Fantasia" by Summer Watson

talesforlove

[Italian]

 

Nella Fantasia

 

Nella fantasia io vedo un mondo giusto

Li tutti vivono in pace e in onestà

Io sogno d'anime che sono sempre libere

Come le nuvole che volano

Pien' d'umanità in fondo all'anima


Nella fantasia io vedo un mondo chiaro

Li anche la notte è meno oscura

Io sogno d'anime che sono sempre libere

Come le nuvole che volano


Nella fantasia esiste un vento caldo

Che soffia sulle città, come amico

Io sogno d'anime che sono sempre libere

Come le nuvole che volano

Pien' d'umanità in fondo all'anima

 

[English]

 

In My Fantasy


In my imagination I see a fair world,
Everyone lives in peace and in honesty there.
I dream of souls that are always free,
Like the clouds that fly,
Full of humanity in the depths of the soul.

In my imagination I see a bright world,
Even the night is less dark there.
I dream of souls that are always free,
Like clouds that fly.

In my imagination there exists a warm wind,
That breathes on the cities, like a friend.
I dream of souls that are always free,
Like clouds that fly,
Full of humanity in the depths of the soul.

 

From: http://lyricstranslate.com/en/nella-fantasia-my-fantasy.html

 

[Portuguese]

 

Na minha fantasia 

Na minha imaginação eu vejo um mundo justo, 
E lá todos vivem em paz e honestidade. 
Eu sonho com almas que são sempre livres, 
Tal como as nuvens que voam, 
Cheias de humanidade até às profundidades do seu ser. 

Na minha imaginação eu vejo um mundo luminoso 
Onde mesmo a noite é menos sombria 
Eu sonho que lá as almas são sempre livres, 
Como nuvens a voar 

Na minha imaginação existe um vento quente 
Que sopra sobre a cidade, como um amigo 
Eu sonho com almas sempre livres, 
Como nuvens que voam, 
Cheias de humanidade até ao mais recôndito lugar do seu ser.

 

Nota: Translation to Portuguese by Rui M.