Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

"Tales for The Ones in Love"

An international blog about literature and ecocriticism. Here I include my own lyrics, by Rui M. and also the work of others, from 4 to 24 each month 2018: new contributions sent to blogsnat@gmail.com Periodical Art contests and Critics. Thanks. Arigatou

"Tales for The Ones in Love"

An international blog about literature and ecocriticism. Here I include my own lyrics, by Rui M. and also the work of others, from 4 to 24 each month 2018: new contributions sent to blogsnat@gmail.com Periodical Art contests and Critics. Thanks. Arigatou

02
Jul12

Poema de Junho

talesforlove

Rogo-te:

Que me tomes e sejas pura
Como o teu sentir irreal
De olhar e sorrizos de ternura
Beatífica e Primaveril, não banal

Ai o teu sorrizo intemporal! Fora de tempo!
Que me deixa perdido no labirinto ensanguentado
do meu coração como se eu vivesse acorrentado!

Sim! Deixa-me ser a tua luz polarizada!
O teu teste óptico chamado de polarimetria!
Ser a tua molécula enantiomérica geminada!
Usando apenas a luz brilhante da alegria!

Ah! Amor meu, amor meu!
Haverá alguém capaz de me resgatar deste inferno
que não tenha um sorrizo imaculado como o teu?

Rogo-te: livra-me deste Fado...

 

Notas do autor:
A polarimetria é uma técnica não destrutiva de medição das propriedades ópticas das moléculas que se baseia na polarização da luz. Os enantiómeros são moléculas com a capacidade de rodar o plano da luz polarizada.

08
Mar12

Cabelos voam no Mont’Alto

talesforlove

Os cabelos voam abafados pela luz...

Essa que irradias desse sorriso intemporal.

De tons, de temperaturas, de ternuras que fazem jus

A beleza em crescendo, indiferente a qualquer temporal.

 

Dentes brancos entre lábios semicerrados brilham.

Mas, não mais que a felicidade dos olhos humedecidos.

Como luas em quarto crescente que jorram

Sonhos sempre presentes e nunca esquecidos.

 

Eterna promessa de alegria perfeita,

Redescoberta a cada madrugada rarefeita.

Tal e qual uma mentira, enigmática, ingénua e doce.

E anos fora de tempo assim tudo fosse…

 

Então olhamos em redor,

Vemos outras montanhas e

percebemos o quanto somos pequenos,

No infinito de tudo o que sentimos…

 

Fim.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

search!

Promotion of Blogs - One

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D