Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

"Tales for The Ones in Love"

An international blog about literature and ecocriticism. Here I include my own lyrics, by Rui M. and also the work of others, from 4 to 24 each month 2018: new contributions sent to ruiprcar@gmail.com Periodical Art contests and Critics. Thanks. Arigatou

"Tales for The Ones in Love"

An international blog about literature and ecocriticism. Here I include my own lyrics, by Rui M. and also the work of others, from 4 to 24 each month 2018: new contributions sent to ruiprcar@gmail.com Periodical Art contests and Critics. Thanks. Arigatou

07
Out12

A literatura e a vida - 1

talesforlove

Caros amigos, hoje decidi deixar aqui, pela primeira vez, a minha opinião sobre a literatura e a sua relação com a vida. Espero que seja o primeiro de muitos "posts" sobre este tema:

Na minha opinião, a literatura é uma espécie de açúcar para a vida, no sentido em que lhe acrescenta uma tentativa de auréola de magia que supostamente nos deve fazer sentir bem. Evidentemente, a literatura não é necessária à vida... para muitas pessoas esta é uma realidade pois não têm por hábito ler ou mesmo preocuparem-se com questões filosóficas, algo que me parece ser uma espécie de alavanca para algo mais, o qual pode ser o acto de ler. Mas mesmo essas pessoas não se livram daquilo a que podemos chamar de grande família da arte à qual a literatura pertence. Com efeito, podemos imaginar um mundo sem preocupações artísticas e podemos admitir que seria bem mais caótico, o quer que isso signifique. Quando olhamos para o universo sentimos a sua beleza, frequentemente sob a forma de padrões, mas ai não houve a mão humana. Quando há a mão humana, se essa mão se preocupar sobretudo com a utilidade, então eu não sei o que esperar... uma beleza sem padrões, uma cor sem razão de ser e sem capacidade de nos estimular?

Para terminar, por hoje, eu diria que a literatura, para uma parte significativa dos leitores deste blog é uma espécie de tentantiva inconsciente para alcançar a névoa azul que Leão Tolstoy identificou no contexto da adolescência. Sim, algumas coisas queremos, ainda que sem pensar nisso, que sejam eternas.

Continuo outro dia.

Um abraço a todos e voltem sempre.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

search!

Promotion of Blogs - One

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D