An international blog about literature and ecocriticism. Here I include my own lyrics, by Rui M. and also the work of others, from 10 to 14 each month 2017: new contributions sent to ruiprcar@gmail.com Periodical Art contests and Critics. Thanks. Arigatou

11
Nov 10

Parte I*

 

És estátua branca de mármore, sózinha no deserto

De luminosidade bela e avassaladora, quente e agridôce

E és flor pintada de lilás e azul cerúleo

Que me consome entre a multidão

 

 

Sinto que és acaso feliz da vida

Meu ocaso e heroína da minha paz

Encontrada na encosta da montanha que contorno

E que serve de ponto de vigia altaneiro para o teu coração desejado

 

 

Fonte pura de ternura secreta

e de medo inquieto e frio...

Véspera de exame quase solitária

e pesadelo feito de solidão quase tolerada...

 

* Em português sobretudo para os leitores de Portugal

 

published by talesforlove às 23:28